Dicas de Londres, Turismo

Coluna da Ana: Novo Bairro, Novos Tempos!

julho 30, 2018 Por Ana Cunha

Me mudei. Bethnal Green já não é mais minha ‘quebrada’. Demorei para me acostumar com a ideia, mas ela é real. Londres é muito grande pra não ser explorada, pensei. E logo coloquei minhas asinhas pra bater novamente. Outro bairro, outra casa, mais uma aventura.

Vim parar em Elephant and Castle, Borough of Southwark. Resumindo, The Elephant, ao sul de Londres. Pois é, a Zona Leste também ficou para trás. Fica ao sul do rio Tâmisa, e ouso dizer que é mais central do que nunca para mim. E um dos motivos da mudança para esta área em específico também foi essa, já que meu marido trabalha no centro de Londres e agora ele vai andando pro escritório todos os dias. E qualidade de vida a gente presa muito aqui em casa. Outro fator dominante foi que encontramos uma casa do jeitinho que queríamos, não dava pra perder a oportunidade. Se você já procurou casa por aqui, vai entender do que estou falando. O mercado imobiliário de Londres é insano, nada comparado com o que temos no Brasil.

 

E então viemos parar aqui. Infelizmente ainda não consegui parar e explorar a região como gosto, mas tudo bem também, já que pra conhecer Bethnal Green como conheço levei pelo menos 1 ano de andanças por lá. Esse ano tá um pouco insano também, viajamos muito, trabalhamos muito e mudar no meio de tudo isso também requer um fôlego e tanto. Porém, o que tenho de considerações até o momento são:

1 – Minha rua é sem saída, o que é muito interessante já que na maioria dos dias quase não se ouvem vozes ou carro por aqui. E digo na maioria dos dias porque, só no último mês, a rua já foi cenário de duas gravações cinematográficas e ficou um agito só.

2 – Estranhei um pouco toda movimentação intensa da região, é só colocar o pé pra fora da rua que aparentemente já estou vivendo um centro da cidade de correria, ônibus, metrô e turista. Bethnal Green era mais pacata nesse sentido. Mas também não quer dizer que não gostei, só que estranhei a princípio mesmo.

3 – Aqui nas proximidades, em direção mais ao sul, tem uma comunidade colombiana imensa, com diversos cafés e restaurantes deliciosos que ainda preciso de uma pesquisa mais apurada para começar a indicar.

4 – Andando por 15 minutos chego no Borough Market, uma atração turística bem próxima à Tower Bridge. É tipo um mercado municipal, com diversas barracas de frutas, verduras, flores e comidinhas de tudo que é lugar desse mundo. Um dos poucos lugares que se encontra suco natural fresquinnho e geladinho de melancia, minha paixão nesse verão Londrino atípico, intenso e duradouro.

 

5 – Não tenho mais o Regents Canal na porta de casa, mas, para compensar, em menos de 20 minutos de caminhada estou na região de Southbank, às margens do Rio Tâmisa. Por ali, a Hay’s Galeria, o Tate Modern e a London Eye se tornam um roteiro bem interessante para uma caminhada descompromissada à beira do rio.

E acho que por enquanto estas são minhas considerações. Mas não sei se já deu pra perceber, que o que eu gosto mesmo é de descobrir lugares novos, escondidos, fora de rotas turísticas super badaladas. E aqui ao sul de Londres tenho altas expectativas pra isso, a começar por Brixton e Peckham. Mas bom, vamos aos poucos que eu ainda chego lá.

Zona Leste ainda é uma paixão, mas Londres tem tantas coisas incríveis acontecendo que seria uma pena se fechar e não aproveitar todas as oportunidades que pipocam aqui. Sigo empolgada e pronta para desbravar o desconhecido! Quem vem comigo?

Nos vemos em breve. Cheers!

Veja também esses posts relacionados:

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário

Translate »