Turismo

Moda pelo Mundo: Estocolmo – Suécia

abril 28, 2017 Por Camile Arndt

Acho que já comentei algumas vezes por aqui que uma das coisas que faz eu ficar cada vez mais apaixonada pela Europa e pela Inglaterra é a facilidade em poder viajar. Desde que eu vim morar para cá, a pouco mais de 3 anos, eu já conheci mais de 10 países! No Brasil, eu só conseguia ir para o Paraguai 😛

Viajar é um costume bem frequente por aqui, tanto que as férias escolares são um pouco diferente do que temos no Brasil. As férias maiores são em julho e agosto (verão por aqui), e aí tem algumas semanas de férias em outubro, dezembro (Natal e ano novo), fevereiro, abril (Páscoa) e junho, favorecendo muito a possibilidade de viajar.

Sem falar no valor né gente? É muito barato!!!! Tranquilamente você consegue passagem e hotel para um outro país da Europa por 200 libras, para passar o final de semana – aqui chamado de City Break.

Então, como eu amo viajar, fiz minha listinha de países que quero conhecer esse ano e um deles era a Suécia. Em março eu passei uma final de semana la, fui no sábado bem cedinho e voltei no domingo a noite, fiquei no hotel Sheraton e não gastei 300 libras (em tudo!).

Estocolmo é uma cidade linda, me apaixonei muito e super me surpreendeu. Não esperava ver paisagens tão lindas. Estava muito frio, no domingo tava fazendo -8 graus, mas mesmo assim consegui aproveitar e conhecer vários museus e lugares bacanas da cidade.

Dia 1

No sábado, depois de confortavelmente me hospedar no hotel Sheraton e provar um dos pratos mais tradicionais – meat balls (almôndegas), foi o dia de conhecer a cidade velha, andar pelas ruelas lindas e super antigas. Como eu fui numa época pouco procurada pelos turistas, a cidade estava bem vazia, ótimo para passear, olhar os detalhes e tirar muitas fotos.

 

Depois de muito caminhar (no frio), hora de tomar um café delicioso e quentinho, em uma das cafeterias mais antigas (senão a mais antiga) e tradicionais da cidade – Sundbergs Konditori. Essa cafeteria está lá no mesmo lugarzinho desde 1785, só esse fator já vale a pena a visita, mas os doces, bolos e os chás realmente fazem desse lugar muito especial e imperdível!

De volta para o hotel, banho para esquentar o corpo e sair mais uma vez. Hora do jantar e caminhar mais um pouco pela cidade. Estocolmo não é uma cidade gigantesca, eu fiz basicamente tudo a pé no primeiro dia e assim também é possível ver todos os detalhes, lugarzinhos escondidos e outras curiosidades que quando se anda de transporte público ou de carro não é possível. A dica que eu dou é de se hospedar num hotel estratégico, bem central, que você consegue aproveitar muito mais em pouco tempo, que foi meu caso.

Dia 2

Acordar cedo e aproveitar o dia gelado e ensolarado! Peguei o trem e fui para a Ilha de Djurgårde, uma área linda de parques, com muita história, museus, galerias e ótimos restaurantes. Primeira parada: Museu Nórdico. Esse museu mostra a história do povo sueco de uma forma bem dinâmica e nada cansativa. Tem uma parte que conta da história da cerveja e uma ala que fiquei de boca aberta, sobre moda com direito até a uma biblioteca de tecidos, com milhares de exemplares. Além disso, a arquitetura do prédio é encantadora e para completar tem uma pista de patinação no gelo interna com jogo de luzes que fácil você fica lá por horas e horas. (esse museu é gratuito)

Publicado por Camile Arndt em Segunda, 6 de março de 2017

Como eu tinha poucas horas para curtir a cidade, depois do museu nórdico fui passear pelo parque (vocês não tem noção do frio que tava) e ai já era hora do almoço. Meldels que almoço delicioso! Comi peixe com repolho que com essa descrição parece nojento, mas foi dos deuses. O restaurante escolhido foi no SpiritMuseum (esse museu eu não conheci). Vista linda, atendimento impecável e ainda trouxe pra casa a manteiga caseira que eles fazem!

Vasa Museu – esse museu é simplesmente in-crí-vel! Quando eu pesquisei as atrações de Estocolmo, sempre via sobre esse museu do navio, e ficava pensando: nossa isso deve ser muito chato, um museu todinho só para um navio. Eu não sou a pessoa mais enlouquecida por museus e navio não é nem um pouco meu forte mas eu amei esse lugar. É lindo, cheio de história, tem o navio lá ao vivo para ver, admirar e entender quanto esforço foi feito para aquilo ali se tornar realidade. (a entrada custa menos de 11 libras, algo em torno de 45 reais). Como eu fui no inverno não tinha fila, mas no verão – alta temporada, as filas são quilométricas! E eu digo uma coisa: vale super a pena!

Publicado por Camile Arndt em Segunda, 6 de março de 2017

Hora de ir embora! Passei no hotel pegar a mala e fui para o aeroporto. Trem ótimo, super confortável, barato, rápido e com wifi potente (quem não ama?).

O que levar na mala

Nem preciso falar para trazer roupas bem quentinhas né? O que eu levei na mala foi: 1 calça jeans, 2 blusas térmicas, 2 meias-calças (bem grossas – fio 200 e térmica), blusa de lã, 1 casaco, 2 luvas, 3 cachecóis e 2 tocas. Essa é a dica que eu dou, como eu fiquei só o final de semana, trouxe um casaco preto básico e bem quente e só vai trocando os acessórios – Cachecol, Luva e Toca. Trazer roupas térmicas é super importante, senão é bem difícil aguentar o vento gelado e as temperaturas negativas. No Brasil nunca comprei, mas acredito que não seja impossível de achar. Para quem quer comprar por aqui, Primark é a mais barata – sempre! E normalmente onde compro é na Uniqlo.

O que trazer na mala

Para quem não sabe, a H&M – famosa fast fashion que eu adoro é sueca! Sim, e você acha lojas espalhadas por todos os cantos. No centro de Estocolmo, tem uma loja gigante só de Home, que fiquei apaixonada.

Tem também muitas opções de xales e cachecóis com padronagem xadrez, bem característico de lá, muita variedade de peças em lã bem coloridas – para fugir do básico preto!

Estocolmo é uma cidade belíssima, fiquei surpreendida e com certeza quer voltar, mas dessa vez vai ser no verão 🙂

Veja também esses posts relacionados:

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário

Translate »