Entrevistas

JOANA FULANA – Uma Brasileira de Sucesso!

dezembro 02, 2014 Por Camile Arndt

Oiii meninos e meninas!!!

É com muito prazer que compartilho com vocês mais uma entrevista exclusivíssima para O Vestido da Rainha, com a designer de bolsas Vivy La Rocher, residente na Itália e proprietária da marca Joana Fulana.

OVR – Quando começou a ideia de criar bolsas e por quê?
Vivy – Tudo começou em 2007, quando eu estava no último ano da faculdade de Direito. Desde muito jovem já era apaixonada por moda e sonhava em me tornar uma designer, porém fui um pouco induzida a optar pelo o que chamavam de “uma profissão séria” naquela época, no entanto nunca exerci a advocacia. Tomei coragem e resolvi investir no que realmente me satisfazia, começando a confeccionar algumas peças mais simples de vestuário. Aprendi a costurar sozinha e aos poucos fui aperfeiçoando as minhas próprias técnicas. Um dia resolvi fazer uma bolsa de tecido para mim e o sucesso entre minhas amigas ocasionou uma série de encomendas e em pouco tempo foi ampliando a clientela. Decidi então criar minha própria marca, a Joana Fulana.
Através de uma parceria com uma amiga já inserida no varejo há anos, as vendas foram se multiplicando cada vez mais até que a marca se tornou bastante conhecida na região e algumas lojas começaram a me contatar para representação comercial e assim fomos crescendo. A expansão do negócio se deu realmente com a inauguração de uma loja exclusiva dos meus produtos no litoral paulista. Foi emocionante ver a minha joaninha conquistando o seu espaço.
Por razões pessoais, me mudei para a Itália, de onde monitorei a distância o atelier e as vendas por algum tempo (sim, é possível!), enquanto me adaptava a nova vida. Meu objetivo sempre foi transformar a Joana Fulana em uma marca reconhecida internacionalmente, eis o grande desafio!

o-vestido-da-rainha-joana-fulana3
OVR – Qual a dificuldade maior em ser uma empresária brasileira na Itália?
Vivy – Ser empresário de modo geral, não somente no setor da moda como em qualquer outra atividade é bastante complicado. Exige muita persistência e trabalho duro. O fato de viver na Itália as vezes passa a idéia de um certo glamour, e realmente além de toda a inspiração que nos cerca, temos acesso a materiais de alta qualidade e técnicas de produção de ponta, porém eu diria que as dificuldades são basicamente as mesmas do Brasil. Uma vez que você entende o mercado e trabalha sério com foco e determinação, as chances de obter sucesso superam, sem dúvida, os obstáculos.

o-vestido-da-rainha-joana-fulanaOVR – De onde vem as inspirações para suas coleções?
Vivy – Eu sempre fui muito atenta a tudo o que acontece a minha volta, as vezes um simples detalhe que eu vejo andando pela rua, desencadeia uma série de idéias. Depende muito do momento que eu estou vivendo. Ainda não consegui criar uma coleção com um tema específico, tenho a mania de mesclar muito os conceitos. Mesmo depois de tantos anos trabalhando com design de bolsas, sei que o caminho a ser percorrido é bem longo e tenho muitíssimo a aprender.

 

OVR – Quais os planos da marca para o futuro?

Vivy – São um tanto quanto ambiciosos! No momento estou na expectativa de encontrar um investidor disposto a fomentar o business no Reino Unido, onde o mercado é muito propício para fazer brilhar, de uma vez por todas, uma jovem marca de forte personalidade como a Joana Fulana.

o-vestido-da-rainha-joana-fulana4

OVR – A moda brasileira é respeitada no mundo?
Vivy – Sim, sem dúvida! Talvez não tanto quanto mereceria, ainda! A criatividade, versatilidade e o grande talento dos nossos estilistas são notáveis no cenário da moda internacional. Percebo que esta notoriedade vem aumentando nos últimos anos, pois estão investindo mais em inovação e consequentemente, copiando menos das tendências européias, o que valoriza e muito o nosso DNA criativo.

 

Muito bom poder partilhar com vocês a experiência de uma boa profissional tão competente e talentosa! E um orgulho também saber do sucesso dos brasileiros conquistanto o mundo 🙂

Beijos e fui!!!

Veja também esses posts relacionados:

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário

Translate »