Dicas de Londres, Turismo

Coluna da Ana: Ainda não falei de Shoreditch!

junho 09, 2018 Por Ana Cunha

Como grande defensora e (auto denominada) embaixadora da Zona Leste de Londres, não podia deixar de dar a minha visão sobre essa área tão trendy e descolada da cidade.

Menos de 30 minutos de caminhada separam a região de Shoreditch da Torre de Londres. Peguei de referência já que a Torre de Londres e a London Bridge são pontos turísticos que ninguém quer deixar de conhecer na cidade, então é só programar o roteiro que dá pra fazer os dois em um mesmo dia.

Shoreditch, como toda zona leste de Londres, era um lugar onde ninguém queria morar, até pouco mais de 30 anos atrás. Perigoso, sujo e barulhento. Durante a segunda guerra, foi alvo dos bombardeios alemães, por ser uma área de grande importância para todo Reino Unido, abrigando além das docas, suprimentos do exercito britânico.

Os anos passaram e o processo de gentrificação começou. Empresas de moda, tecnologia e design se instalaram ali. Bares, restaurantes e cafés hipsters também ganharam fama, assim como diversos rooftops badalados pra curtir os animados verões londrinos. E assim Shoreditch virou tendência.

Demorei para conhecer, na verdade. Já havia visitado a cidade duas vezes e somente na terceira delas é que fui me aventurar pela região. Fiz um daqueles passeios guiados gratuitos (ou Free Walking Tours – que super recomendo fazer em toda cidade desse mundo), mas escolhi o tour focado em arte de rua. Andamos pela região ouvindo, além das histórias das artes e dos artistas ali expostos, também histórias do Jack estripador que, conta a lenda, fez grande parte de suas vítimas naquela área.

Mal sabia que depois de um ano viria a morar vizinha dali no bairro logo ao lado, minha tão querida Bethnal Green. Mas vamos ao que viemos, e nesse artigo vou contar um pouco dos meus pontos preferidos de Shoreditch.

Começando pela Brick Lane, rua famosa pelos brechós incríveis, livrarias, baladas e inúmeros restaurantes indianos (e todos eles exibem uma faixa se dizendo o melhor da cidade – o que acho bem interessante e suspeito, digamos).  Se for passar por ali, recomendo entrar e vasculhar todas as Vintage Shops (brechó, né), tomar um chocolate quente na Dark Sugar e babar na vitrine linda repleta de chocolates lindos, e comer o salted beef bagel da Beigel Bake (aos finais de semana a fila é grande, então recomendo ir em dia de semana, mas ainda assim vale a pena!)

No final do passeio, uma parada em um dos pubs com a pint mais barata da cidade, o The Pride of Spitafields, que não fica exatamente na Brick Lane, mas em uma travessa dela. O lugar é um achado, você consegue tomar uma pint com 3 libras, uma raridade, ainda mais pra região. É super local, você não verá turistas por ali. Nota importante: só aceitam dinheiro, nada de cartões.

Para quem gosta de vinil, vai adorar conhecer a Rough Trade. E se estiver procurando um showzinho alternativo, aí também é um ótimo lugar pra tentar garantir um.

Outro lugar que vale muito conhecer ainda na área da Brick Lane é o Nomadic Community Gardens. Não tem como explicar, tem que ir para entender a atmosfera do lugar. Mas basicamente, é um jardim/horta comunitário. Um projeto social que se tornou popular entre locais, turistas e artistas, que expões diversos tipos de esculturas e pinturas. Ali, aos finais de semana, também acontecem performances ao vivo, e o lugar ainda conta com um palco, que sedia diversos tipos de eventos.

Acho que a melhor palavra que define esse lugar seria, ao menos para mim, pitoresco. Não precisa de muito tempo, e dar uma volta por lá vai valer a pena. Um espaço tão legal feito todo pela comunidade local, livre e cheio de arte e boa vibe. Recomendo muito.

Um tempo atrás fui em um teatro ao ar livre, onde os atores vão encenando a peça pelas ruas da região e o público vai atrás. O encerramento da peça foi inclusive nesse palco do Nomadic Gardens. Aliás, uma outra dica boa de Shoreditch: o Rich Mix – espaço cultural no coração do East London. Rola cinema, teatro, dança. Vale dar uma olhada na agenda quando estiver na cidade!

Outro lugar que gosto bastante e também fica por ali, 10 minutinhos de caminhada da Brick Lane, é o Spitafields Market. É meu lugar oficial para as lembrancinhas de Natal. Não se deixe enganar pelas várias lojas de maquiagem e de roupas luxuosas que dominam a fachada. Lá dentro acontece uma feira incrível de acessórios, arte, roupas, comidas de rua, artesanato, antiguidades. Preços interessantes e produtos originais. Aqui dá pra reservar um tempinho a mais se você gosta de garimpar.

Se estiver a fim de uma noite badalada, basta ficar pelo bairro. O lugar é cheio de pubs e restaurantes bacanas e bem conceituados. Um lugar interessante para conhecer é o Boxpark, na Shoreditch High Street – uma estrutura feita de containers com lojas, bares e restaurantes. Sempre bem animado.

A última dica é aquela pra terminar a noite em grande estilo: Dirtyburger. O melhor hambúrguer da área, na minha humilde opinião. O lugar é pequeno e concorrido, mas vale a espera. Minha pedida é sempre o vegetariano, que vai um suculento e grande cogumelo no lugar do hambúrguer. Não sou vegetariana, mas nesse não tem discussão.

Encerro por aqui toda essa propaganda gratuita e sincera dos meus lugares favoritos em Shoreditch, e espero que tenha plantado a sementinha da visita à zona leste londrina no roteiro e no coração de vocês, mais um pouquinho. Beijos e até a próxima! Cheers!

Veja também esses posts relacionados:

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário

Translate »